Daniel de Paula

A produção de Daniel de Paula atua diretamente com questões burocráticas e canais que burlam o sistema, mesmo que em um primeiro momento o que sobressalte seja a potência escultórica dos matérias apropriados por ele. O trajeto dos objetos, as trocas de e-mail, a argumentação ao vivo são essenciais para que o trabalho aconteça. Um processo atípico para artistas que trabalham com a prática de ateliê, visto que Daniel parte do meio urbano e sua arquitetura como inspiração, passando por negociações, para então conseguir deslocar o objeto apropriado. E é justamente este percurso, invisível a olho nu, que faz seu trabalho ser tão potente.