Notícias
Arte

Veja os selecionados para o workshop de upcycling Identidades_Autônomas

21jun

por Red Bull Station

Nos dias 4, 5, 10, 11 e 12 de julho, das 19h às 22h, o Red Bull Station recebe o projeto IDENTIDADES_AUTÔNOMAS para um workshop gratuito e parte do Festival Mesa Vista que vai ensinar diversas técnicas de upcycling – processo que cria algo novo e melhor a partir de itens que seriam descartados, utilizando materiais existentes para melhorar os originais – para a criação de roupas e acessórios. As inscrições aconteceram entre os dias 04 e 12 de junho. Veja os selecionados:

André Belizario
Anita Basilio
Bruna Sartini
Camila Gonçalves
Camila Rhodes
Daniel Normal
Edvaldo Vieira
Gabriela Gomes Bazilio
Helga Vaz
Larissa Medeiros
Letícia Souza Freitas
Luana de Almeida Nascimento
Luci Hidaka
Luiza Luz
Ricardo Vieira

Suplentes:
Emanuele Cardoso
Pamela Rodrigues
Paula Giavarotto
Eliete de Queiroz

Com facilitação de Edgar, Estamparia Social e Renan Soares – saiba mais sobre cada um deles no final da matéria –, o objetivo dos seis encontros é estimular a imaginação para desenvolver soluções criativas de reutilização de resíduos, promovendo a interação dos participantes na produção das peças e criando assim novas relações das pessoas com objetos e espaços.

IDENTIDADES_AUTÔNOMAS

O workshop faz parte da programação da Mesa Vista, laboratório de comunicação que compartilha experiências e cria legados desde 2004, buscando por meio de diversas plataformas quebrar barreiras para construir novas formas de comunicação. A agenda de atividades tem início em 2 de julho e vai até 24 de agosto e inclui um grande festival a ser realizado no nosso prédio no dia 13 de julho. Mais informações serão divulgadas em breve.

EDGAR

Artista multifacetado que traduz a nova era que transpõe padrões. Após uma marcante participação no mais recente disco de Elza Soares, na música “Exú nas Escolas”, lançou oficialmente o álbum “Ultrassom”, com uma ótima repercussão de público e crítica, tendo sido indicado para diversos prêmios. Artista performático, chama atenção não só pelo som, mas também pela maneira com que se veste. “Eu sempre me vesti com o que estava disponível”, conta. “Eu pego umas roupas no brechó, ganho outras, recorto, grudo uma com outra, ganho coisa dos amigos, e isso evoluiu pro meu estilo.”

O novíssimo Edgard. Crédito: Felipe Gabriel.
O novíssimo Edgar

ESTAMPARIA SOCIAL

A Estamparia Social oferece capacitação profissional para egressos do sistema prisional por meio de oficinas de serigrafia, sublimação e transfer, utilizando materiais sustentáveis a fim de reduzir os impactos na natureza e na sociedade. A organização acredita que todos merecem uma segunda chance, uma oportunidade para seguir em frente e vencer na vida de forma honesta e digna.

A Estamparia Social utiliza tecidos sustentáveis em suas criações
A Estamparia Social utiliza tecidos sustentáveis em suas criações

RENAN SOARES

Artista multimídia, sua produção passeia por diversos campos como ilustração, audiovisual, performance, cenografia, instalação e intervenções poéticas, utilizando o desenho como ferramenta base do desenvolvimento de todas essas ações. O encontro e a relação entre os suportes e espaços são o ponto central de suas propostas, que geralmente evocam a recriação mitológica e as máscaras. Renan participou da 33ª Bienal de São Paulo em 2018 e no mesmo ano assumiu a direção de arte e curadoria em produções audiovisuais de artistas como Hermeto Pascoal e Gabriel O Pensador.

Renan Soares
O artista Renan Soares

 

Arte

Conheça os selecionados para a OCUPAÇÃO #5

14mai

por Red Bull Station

A OCUPAÇÃO é um programa do Red Bull Station que busca inspirar, conectar e transformar a energia criativa da cidade de São Paulo. O espaço de compartilhamentos, vivências e intercâmbios de experiências e saberes chega a sua quinta edição com cinco projetos escolhidos por meio de um processo horizontal. Veja abaixo a lista de selecionados.

• Batekoo

 

• Coletivo Coletores

 

• Lab Desencanto

 

• Sociedade Brasileira de Colagem

 

• Val Souza

 

As duas primeiras edições do programa OCUPAÇÃO, que aconteceram respectivamente de 01 a 28 de fevereiro e de 12 de junho a 12 de julho de 2018, receberam mais de 360 projetos. De 5 de outubro a 13 de novembro de 2018, foi realizada uma terceira edição do programa, revisitando projetos que passaram pelos dois editais. A quarta edição aconteceu entre os dias 20 de fevereiro e 20 de março de 2019 e contou com mais de 200 escritos. Ao todo, 18 selecionados puderam utilizar não só o espaço individual, mas também outros espaços do prédio.

A OCUPAÇÃO #5 acontece de 22 de maio a 26 de junho de 2019.

Arte

Estão abertas as inscrições para a OCUPAÇÃO #5

20mar

por Red Bull Station

[CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE PARA A OCUPAÇÃO #5]

Entre os dias 22 de maio e 26 de junho de 2019, acontece no Red Bull Station a quinta edição da OCUPAÇÃO, programa que leva artistas e coletivos para ocuparem os ateliês do prédio a fim de inspirar, conectar e transformar a energia criativa da cidade. Pela segunda vez no ano, o espaço de compartilhamento, vivência e intercâmbio de experiências e saberes abre novamente suas portas e oferece cinco vagas para artistas, coletivos, grupos de estudos, criativos, gestores e/ou produtores culturais ocuparem o edifício.

Siga o Red Bull Station nas redes sociais Instagram | Facebook

As inscrições para a OCUPAÇÃO #5 acontecem de 20 de março a 26 de abril de 2019 e já podem ser feitas aqui. A seleção dos ocupantes será realizada de forma horizontal por parte da equipe do Red Bull Station, visando contemplar um grupo heterogêneo de participantes e projetos. Os selecionados devem ser atuantes nos campos de arte urbana, design e inovação social e seus nomes serão divulgados em 14 de maio de 2019.

[CLIQUE AQUI PARA LER A CONVOCATÓRIA COMPLETA]

As duas primeiras edições do programa OCUPAÇÃO, que aconteceram respectivamente de 01 a 28 de fevereiro e de 12 de junho a 12 de julho de 2018, receberam mais de 360 projetos. De 5 de outubro a 13 de novembro, foi realizada uma terceira edição do programa, revisitando projetos que passaram pelos dois editais. A quarta edição aconteceu entre os dias 20 de fevereiro e 20 de março e contou com mais de 200 escritos. Ao todo, 18 selecionados puderam utilizar não só o espaço individual, mas também outros espaços do prédio.

Coletivo Ouvidor 63 durante encerramento da OCUPAÇÃO #1. Crédito: Felipe Gabriel.
Coletivo Ouvidor 63 durante encerramento da OCUPAÇÃO #1. Crédito: Felipe Gabriel.

Fizeram parte da OCUPAÇÃO #1 os projetos AddWomen, CHRUA, Coletivo Ouvidor 63, Coletivo Abebé e Drag Therapy. “É muito importante poder dividir as dificuldades sobre o projeto e ter o suporte dessa equipe que tanto faz para evoluirmos ainda mais nossas ideias e ações”, conta Flavia Redivo, do Coletivo Ouvidor 63.

Coletivo Magenta, Festival A Todo Vapor, Filipe Grimaldi e Phenomenal Creative ocuparam o Red Bull Station na segunda edição da OCUPAÇÃO. “O programa ajudou na divulgação do meu projeto, além de oferecer espaço para eu apresentar meu trabalho”, diz Filipe Grimaldi. Para o músico e produtor Rafael Lopes, do Festival A Todo Vapor, o Red Bull Station foi fundamental como espaço físico de convergências. “Durante o mês da ocupação, foi ali que o festival encontrou seu QG.”

Filipe Grimaldi em seu ateliê. Crédito: Felipe Gabriel.
Filipe Grimaldi em seu ateliê. Crédito: Felipe Gabriel.

Os participantes da OCUPAÇÃO #3 foram Aprendendo a Errar, Coralina, Julie Dias e Maternativa. “Rolou muita apreensão sobre sermos realmente capazes de atingir as expectativas sobre o que nos proporiam e eu fico muito feliz em perceber o quanto evoluímos durante esse período”, explica Ana Luiza Meigger, criadora do projeto ao lado da sócia Júlia Vianna. “Sem esse apoio talvez não tivéssemos enxergado o potencial do nosso trabalho e quão capazes somos.”

A OCUPAÇÃO #4 contou com a participação do Afrolab, Coletivo Lab 63, Mag Magrela e Luísa Estanislau, Produção Preta e Nazuri. “Ter um espaço que nos deu a oportunidade e a liberdade de colocar em prática tudo que planejamos, desde oficinas à rodas de conversa, foi extremamente importante para nós”, afirma Anderson Pereira Alves, da Produção Preta. “A participação na OCUPAÇÃO permitiu um aprofundamento na pesquisa de campo e nos deu foco de uma forma única, num tempo curto e em um espaço energeticamente intenso”, completa Mag Magrela.

[CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE PARA A OCUPAÇÃO #5]

Arte

Conheça os selecionados para a OCUPAÇÃO #4

06fev

por Red Bull Station

A OCUPAÇÃO é um programa do Red Bull Station que busca inspirar, conectar e transformar a energia criativa da cidade de São Paulo. O espaço de compartilhamentos, vivências e intercâmbios de experiências e saberes chega a sua quarta edição com mais de 200 projetos inscritos. Por meio de um processo de escolha horizontal, feito com parte da equipe do Red Bull Station, além dos participantes de edições passadas do programa Thays Borges, Charles Borges e Filipe Grimaldicinco desses projetos foram selecionados:

• Afrolab •

Apoiar, promover e impulsionar o afro empreendedorismo no Brasil, por meio da oferta de conhecimento e capacitação com foco em inovação e inventividade. Esse é o objetivo do AFROLAB, programa idealizado pela Feira Preta, que conta com atividades de autoconhecimento, ciclos de imersão criativa, aprendizagem, cursos e workshops.

• Coletivo Lab63 •

O Coletivo Lab63 explora novas maneiras de interagir com a cidade e o espaço público. O próximo passo do projeto, além de realizar workshops de projeção mapeada, é produzir um podcast sobre novas mídias, projeção e video-arte, com artistas, professores e especialistas que usam essas mídias para interagir com o espaço urbano.


Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por Lab Novas Mídias (@labnovasmidias) em

• Mag Magrela e Luísa Estanislau •

Projeto criado pela grafiteira Mag Magrela, que desde de 2007 espalha seus trabalhos pelas cidades, sobretudo nas ruas de São Paulo. Atualmente, ela também desenvolve uma pesquisa em parceria criativa com a arquiteta, pesquisadora e realizadora cultural Luísa Estanislau, para elaborar narrativas que serão pintadas em azulejos, como uma forma de gerar conexão, inspiração, autoconhecimento e acolhimento através da exposição de processos criativos e histórias sinceras de artistas que enfrentaram seus medos e inseguranças.

Crédito: Mag Magrela.
Crédito: Mag Magrela.

 

• Nazuri •

Entender-se culturalmente num ambiente colonizado é uma tarefa individual que tem força para mudar coletivos e preconceitos disseminados que se baseiam em total ignorância do assunto. “Nazuri: Em Preto e Amarelo” busca realizar um diálogo entre forma, estética e conteúdo das ancestralidades das mulheres preta e amarela, que mesmo vindas de culturas distintas, têm um propósito comum: a luta antirracista. Formado pela dupla Lya Nazura e Helena Sayuri, o projeto tem como objetivo pautar a produção do artista racializado, que enfrenta a tarefa contínua de se reconstruir enquanto compreende seu passado como bandeira de luta e mudança subversiva do presente, desmistificando a visão da tradição como algo estático.

Movimento Yellow Peril Supports Black Power é uma das inspirações da dupla. Crédito: Yellow Peril Supports Black Power.
Movimento Yellow Peril Supports Black Power é uma das inspirações da dupla. Crédito: Yellow Peril Supports Black Power.

 

• Produção Preta •

No Brasil, a maior parte da população desempregada atualmente é jovem e em sua maioria negro, seguido por LGBT+. Diante dessas estatísticas alarmantes, a Produção Preta elaborou uma oficina com atividades práticas e teóricas relacionadas ao Audiovisual e Empreendedorismo. O intuito das oficinas é capacitar, instruir e levar conhecimento para jovens e, mais do que isso, empoderá-los mostrando que é possível conhecer e vivenciar outros meios de profissão e desenvolvimento artístico.

 

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por PRODUÇÃO PRETA (@producaopreta) em

As duas primeiras edições do programa OCUPAÇÃO, que aconteceram respectivamente de 01 a 28 de fevereiro e de 12 de junho a 12 de julho de 2018, receberam mais de 360 projetos. De 5 de outubro a 13 de novembro, foi realizada uma terceira edição do programa, revisitando projetos que passaram pelos dois editais. Ao todo, 13 selecionados puderam utilizar não só o espaço individual, mas também outros espaços do prédio.

A OCUPAÇÃO #4 acontece de 20 de fevereiro a 20 de março.

Arte

Estão abertas as inscrições para a OCUPAÇÃO #4

20dez

por Red Bull Station

Durante o ano de 2018, o Red Bull Station realizou três edições da OCUPAÇÃO, programa que leva artistas e coletivos para ocuparem os ateliês do prédio a fim de inspirar, conectar e transformar a energia criativa da cidade. Em 2019, o espaço de compartilhamento, vivência e intercâmbio de experiências e saberes abre novamente suas portas e oferece cinco vagas para artistas, coletivos, grupos de estudos, criativos, gestores e/ou produtores culturais ocuparem o edifício de 20 de fevereiro a 20 de março.

As inscrições para a OCUPAÇÃO #4 acontecem de 20 de dezembro de 2018 a 20 de janeiro de 2019 e já podem ser feitas aqui. A seleção dos ocupantes será realizada de forma horizontal por parte da equipe do Red Bull Station, visando contemplar um grupo heterogêneo de participantes e projetos. Os selecionados devem ser atuantes nos campos de arte urbana, design e inovação social e seus nomes serão divulgados em 1º de fevereiro de 2019.

[CLIQUE PARA LER A CONVOCATÓRIA COMPLETA]

As duas primeiras edições do programa OCUPAÇÃO, que aconteceram respectivamente de 01 a 28 de fevereiro e de 12 de junho a 12 de julho de 2018, receberam mais de 360 projetos. De 5 de outubro a 13 de novembro, foi realizada uma terceira edição do programa, revisitando projetos que passaram pelos dois editais. Ao todo, 13 selecionados puderam utilizar não só o espaço individual, mas também outros espaços do prédio.

Coletivo Ouvidor 63 durante encerramento da Ocupação #1. Crédito: Felipe Gabriel.
Coletivo Ouvidor 63 durante encerramento da Ocupação #1. Crédito: Felipe Gabriel.

Fizeram parte da OCUPAÇÃO #1 os projetos AddWomen, CHRUA, Coletivo Ouvidor 63, Coletivo Abebé e Drag Therapy. “É muito importante poder dividir as dificuldades sobre o projeto e ter o suporte dessa equipe que tanto faz para evoluirmos ainda mais nossas ideias e ações”, conta Flavia Redivo, do Coletivo Ouvidor 63.

Coletivo Magenta, Festival A Todo Vapor, Filipe Grimaldi e Phenomenal Creative ocuparam o Red Bull Station na segunda edição da OCUPAÇÃO. “O programa ajudou na divulgação do meu projeto, além de oferecer espaço para eu apresentar meu trabalho“, diz Filipe Grimaldi. Para o músico e produtor Rafael Lopes, do Festival A Todo Vapor, o Red Bull Station foi fundamental como espaço físico de convergências. “Durante o mês da ocupação, foi ali que o festival encontrou seu QG.”

Júlia Vianna e Ana Luiza Meigger, da Coralina. Crédito: Felipe Gabriel.
Júlia Vianna e Ana Luiza Meigger, da Coralina. Crédito: Felipe Gabriel.

Os participantes da OCUPAÇÃO #3 foram Aprendendo a Errar, Coralina, Julie Dias e Meternativa. “Rolou muita apreensão sobre sermos realmente capazes de atingir as expectativas sobre o que nos proporiam e eu fico muito feliz em perceber o quanto evoluímos durante esse período”, explica Ana Luiza Meigger, criadora do projeto ao lado da sócia Júlia Vianna. “Sem esse apoio talvez não tivéssemos enxergado o potencial do nosso trabalho e quão capazes somos.”

Arte

Conheça e veja como participar do Sófálá

05set

por Red Bull Station

Sófálá é o projeto mensal de competições de Slam (poesia falada) do Red Bull Station.

Cada slammer tem até 3 minutos para apresentar sua poesia autoral – sem utilização de figurinos ou instrumentos musicais –, e recebe notas de 0 a 10 de um júri composto por pessoas do público, selecionadas no início do evento.

Quem comanda a competição de poesia falada é o mestre de cerimônias Emerson Alcalde e cada edição tem um vencedor. No final do ano, um livro com os poemas vencedores é publicado e cada artista grava um vídeo declamando sua obra.

O mestre de cerimônias Emerson Alcalde. Crédito: Fabio Piva / Red Bull Content Pool.
O mestre de cerimônias Emerson Alcalde. Crédito: Fabio Piva / Red Bull Content Pool.

A entrada para os eventos é gratuita e as inscrições são feitas meia hora antes do início da atividade, por ordem de chegada.

A próxima edição do slam de poesia Sófálá acontece no dia 22 junho de 2019. Saiba mais em http://bit.ly/2WonEf1.

Arte

Conheça os coletivos da Ocupação #2

12jun

por Red Bull Station

De 12 de junho a 12 de julho, acontece aqui no Red Bull Station a segunda edição do programa Ocupação. Recebemos inscrições de coletivos multidisciplinares por meio de edital aberto e aqui estão os quatro selecionados, que poderão utilizar os ateliês colaborativos – um digital e o outro analógico –, além de outros espaços do nosso prédio.

1 – Coletivo Magenta;

2 – Festival A Todo Vapor;

3 – Filipe Grimaldi;

4 – Phenomenal Creative.

A Equipe Red Bull Station está feliz de receber os novos ocupantes dos ateliês e poder assistir às descobertas e trocas que estão por vir.

O projeto Ocupação é uma plataforma para que pessoas e coletivos do âmbito da cultura possam desenvolver projetos específicos usufruindo das instalações do Station e convivendo com a nossa equipe e público. A primeira edição do programa aconteceu entre os dia 01 e 28 de fevereiro de 2018 e recebeu os projetos “AddWomen“, “CHRUA“, “Coletivo Ouvidor 63“, “Coletivo Abebé” e “Drag Therapy“.

“Estar entre os 5 selecionados nessa primeira Ocupação foi aquele empurrãozinho que faltava para focarmos no lançamento e estruturação da plataforma”, contam Paula Fernandes e Lily Farias, dupla que encabeça o projeto AddWomen. “Foi nesse ambiente inspirador que conhecemos as meninas que participam do Coletivo Abebé, gravamos com elas nossa primeira entrevista para o Channel, nosso futuro canal do YouTube, e aproveitamos os espaços da Red Bull Station para produzir mais entrevistas, reuniões e utilizar o ateliê como bunker criativo”.

Os membros do coletivo Ouvidor 63 completa: “Acreditamos muito no compartilhamento de ideias e conhecimento. Estar no Red Bull Station é poder contar com pessoas especialistas em diversas áreas que complementam o conhecimento que adquirimos na prática no Ouvidor 63″, contam. “É muito importante poder dividir as dificuldades sobre o projeto e ter o suporte dessa equipe que tanto faz para evoluirmos ainda mais nas ideias e ações para a Bienal.”

Coletivo Ouvidor 63 durante encerramento da Ocupação #1. Crédito: Felipe Gabriel.
Coletivo Ouvidor 63 durante encerramento da Ocupação #1. Crédito: Felipe Gabriel.
Arte

Foto_Invasão 2018: Selecionados Projeções (Virada)

15mai

por Red Bull Station

Confira os selecionados para as PROJEÇÕES da Foto_Invasão, que acontecem dias 19 e 20 de maio, durante as atividades da Virada Cultural no Red Bull Station. Nos dois dias, as projeções acontecem no Auditório, nos intervalos da programação e, no sábado (19), também acontecem na Laje, das 19h às 22h. Foram ao todo 39 artistas selecionados, após extensa deliberação dos curadores. Veja os nomes na lista abaixo.

1 – Aline Provensi

2 – Alves Filho

3 – Ana Mendes

4 – Ana Rodrigues

Ana Rodrigues e João Paulo Pereira
Ana Rodrigues e João Paulo Pereira

5 – Andressa Zumpano

Andressa Zumpano
Andressa Zumpano

6 – Daniela Paoliello

Daniela Paoliello
Daniela Paoliello

7 – Dennis Calçada

8 – Eduardo Hideyuki

9 – Felipe Paiva

Felipe Paiva
Felipe Paiva

10 – Filipe Araújo

11 – Guilherme Rocha

12 – Gustavo Gomes

Gustavo Gomes
Gustavo Gomes

13 – Hans Georg

Hans Georg
Hans Georg

14 – Henrique Vital

Henrique Vital
Henrique Vital

15 – João Lebrão

16 – João Paulo Pereira

17 – José Orlando de Souza e Silva

18 – Juan Yactayo

19 – Julia Paccola

Julia Paccola
Julia Paccola

20 – Juliana Jacyntho

Juliana Jacyntho
Juliana Jacyntho

21 – Leonardo Carrato

22 – Luisa Dörr

23 – Mariana Alves

Mariana Alves
Mariana Alves

24 – Marcelo Argolo

25 – Mariana da Matta

26 – Marlene Bergamo

27 – Mauricio Piffer

28 – Mauricio Susin

Mauricio Susin
Mauricio Susin

29 – Melvin Quaresma

30 – Miriã Regis

Miriã Regis
Miriã Regis

31 – Paulo Batalha

32 – Pedro Mariani

33 – Pedro Mendes

34 – Rafael Guimarães

Rafael Guimarães
Rafael Guimarães

35 – Reginaldo Cardoso

36 – Ricardo Rojas

37 – Sandro Porto

38 – Walter Thoms

Walter Thoms
Walter Thoms

39 – Wesley Barba

Wesley Barba
Wesley Barba
Arte

Saiba tudo sobre a Foto_Invasão 2018

04mai

por Red Bull Station

De 18 a 26 de maio, o prédio do Red Bull Station será tomado por trabalhos de fotógrafos amadores e profissionais e coletivos de fotografia em mais uma edição da Foto_Invasão, que pela primeira vez está aceitando o envio de projetos de instalação. “Um dos diferenciais da edição de 2018 para a edição anterior é a convocatória para as Instalações. Em 2016 os participantes foram convidados pelos curadores, e agora todos podem inscrever-se”, conta Ignacio Aronovich, um dos curadores do evento.

Mais do que uma reunião de instalações, exposições e venda de prints, a Foto_Invasão é um grande encontro de amantes e simpatizantes da fotografia. “É uma experiência sensorial, uma busca por novas expressões através da fotografia”, explica Aronovich, que é jornalista, fotógrafo e criador do coletivo Lost Art ao lado de Louise Chin, com quem idealizou a Foto_Invasão. “A plataforma é voltada para a imagem em todas as suas formas e suportes e visa incentivar a criatividade, valorizar a expressão pessoal e proporcionar experiências singulares aos participantes. Queremos estimular a produção independente, descobrir e divulgar novos talentos.”

Para quem se interessar em fazer parte dessa manifestação cultural, Ignacio avisa: “É importante uma proposta com uso criativo do espaço e que proporcione uma experiência ao visitante. Fugir do formato tradicional de “cubo branco” de uma galeria é um bom ponto de partida.”

A primeira edição da Foto_Invasão foi realizada em 2016 no Red Bull Station, com uma exposição coletiva, performances, projeção fotográfica, intervenções urbanas, venda de prints e objetos fotográficos, rodas de conversa sobre fotografia e oito instalações criadas pelos coletivos C.H.O.C. Documental, Dysturb (FRA), LigaLight, Mamana, Remirar, Rolê e R.U.A, além do próprio Lost Art de Aronovich com o projeto “Medo”, que pode ser revisitado no vídeo abaixo.

 

Coordenando tudo isso ao lado de Aronovich estão outros quatro curadores vindos de universos distintos, todos ligados à produção fotográfica e artística: a fotógrafa e editora de fotografia Cris Veit, a fotógrafa e jornalista Louise Chin, a editora de fotografia Clelia Bailly e o curador do Red Bull Station Fernando Velázquez.

Este ano, além da ocupação dos ateliês com instalações fotográficas, o evento terá ainda a tradicional feira de objetos fotográficos, projeção de fotografias e palestra. Confira abaixo a programação completa.

FEIRA

19 DE MAIO // 11h às 22h – 20 DE MAIO // 11h às 20h

FEIRA DE FOTOGRAFIAS – Mais de 30 fotógrafos levam trabalhos selecionados para exposição e venda no local.

>> Local: Galeria Principal

WORKSHOP

18 DE MAIO // 10h – 18h

REUNIÃO DE FAMÍLIA: NARRATIVAS EM FOTOLIVRO, COM CRIS VEIT E CLELIA BAILLY – ​Neste workshop ministrado pelas editoras de fotografia Cris Veit e Clelia Bailly, o objetivo dos participantes é criar uma narrativa e, posteriormente, um fotolivro físico a partir de fotos extraídas de álbuns de família. Cada participante deve trazer no mínimo 20 e no máximo 50 fotos (impressas ou digitalizadas).

>> 12 vagas | Local: Auditório

EXPOSIÇÃO

19 A 26 DE MAIO

LAR – Juntando os trabalhos de quatro artistas — “Entre”, de Ana Rodrigues, “Gaveta”, idealizado por Leo Drumond e Natalia Martino (Projeto Estrela), com fotos de André Gustavo e Ernani Paulo e “Valéria”, de Jair Bortoleto –, a exposição “Lar” pretende revelar o próprio significado desta palavra: entornos físicos e psicológicos que abrigam nossos pertences e expõem nossa memória.

>> Local: Galeria Transitória

PALESTRA

23 DE MAIO // 20h

TRANSIÇÃO DA FOTO PARA O VÍDEO E SEUS DESDOBRAMENTOS – Nesta palestra, o jornalista, fotógrafo e cineasta João Wainer — diretor, entre outros, do filme “Pixo” e de videoclipes para artistas como Emicida –, traça um histórico a respeito da transição da fotografia still para o vídeo e aborda técnicas criativas para se contar uma boa história.

>> 100 pessoas | Local: Auditório

PERFORMANCE

19 E 20 DE MAIO // 16h – 16h30

CONCHA PARA CAVALOS, DE FABIA KARKLIN – A performance audiovisual “Concha para Cavalos” constitui-se pela projeção e produção ao vivo de imagens ampliadas de sementes coletadas durante caminhadas pela cidade.

>> Local: Auditório

PROJEÇÕES

19 E 20 DE MAIO

PROJEÇÕES DE FOTOS – No sábado e domingo, haverá a projeção das fotos selecionadas através da convocatória aberta da Foto_Invasão. Nos dois dias, a projeção acontece no Auditório, nos intervalos da programação e, no sábado (19), também acontece na Laje, das 19h às 22h.

>> Local: Auditório e Laje

INSTALAÇÕES

19 A 26 DE MAIO

INSTALAÇÕES FOTOGRÁFICAS NOS ATELIÊSCinco artistas selecionados via edital expõem seus trabalhos nos ateliês durante a Foto_Invasão 2018. São eles: Alessandro Celante, com “Máscaras Impermanentes” Flavio Samelo, com “par sepfinrbs”; Mauricio Virgulino, com “Me Fere”; Patricia Montrase, com “Fuga”; e Tommaso Protti, com “Tá Cheio”.

>> Local: Ateliês

Arte

Foto_Invasão 2018: Selecionados Instalações

12abr

por Red Bull Station

Confira os selecionados para as INSTALAÇÕES FOTOGRÁFICAS da Foto_Invasão, que acontece de 19 a 26 de maio no Red Bull Station. Foram ao todo 65 projetos inscritos, dos quais 5 foram escolhidos. As instalações foram escolhidas pelo conceito expositivo, qualidade das obras, proposta de instalação, após extensa deliberação dos curadores.

Alessandro Celante – “Máscaras Impermanentes”

Aos mortos que ainda vivem e podem ser despertados. A contradição entre “o ser e o ter” foi o ponto de partida para o desenvolvimento de um projeto que ainda está a acontecer. O ter em detrimento do ser, o automatismo do acúmulo sobreposto à complexidade da experiência, enfim, a não compreensão do efêmero pelo aprisionamento dos sentidos. Usando a morte como metáfora às perdas perceptivas que o mundo contemporâneo nos impõe e a fotografia como linguagem de interlocução, o projeto “Máscaras Impermanentes” propõe uma experiência estética imersiva que começa na captação das imagens, onde os fotografados se submetem ao que metaforicamente configura um “restart” perceptivo, e pela proposta de ação expositiva onde o espaço se reconfigura e uma nova imersão é proposta aos expectadores, na forma de foto instalação.

Alessandro Celante (1)

Flavio Samelo – “par sepfinrbs”

O título da instalação pode parecer um erro ortográfico mas não é. Procuro não ter relação com nenhum signo que possa remeter a alguma coisa física, sentimento, espaço, lugar, época, nem nada que “exista”. A abstração tem que ser total. Os títulos são uma versão ortográfica do trabalho gráfico. A instalação “par sepfinrbs“ é formada por duas chapas de mdf, centralizadas, uma em cada parede. Cada uma delas tem duas fotos adesivadas, que dão o início das pinturas que seguem além do mdf pelas paredes da sala e pelas linhas que saem das paredes e se ligam aos fios e elementos da arquitetura da própria sala, como se tudo estivesse interligado de alguma forma, vindo das fotografias.

Flavio Samelo

Mauricio Virgulino – “Me Fere”

As imagens, as palavras e os rasgos, uma máquina de escrever e uma pessoa. O quanto nossa imagem pode resistir ao peso das palavras? A instalação Me Fere, de Mauricio Virgulino, provoca sobre o que vale uma imagem frente à mil palavras, de julgamento, preconceito, deturpação e violência, repetindo frases que foram destinadas à pessoas reais, usando a máquina de escrever como ferramenta que fere a fotografia. E questiona, neste jogo de valores e falta de diálogo, se as teclas da máquina de escrever, como projéteis destinados às pessoas, também não provocam lesões no próprio datilógrafo.

me fere as imagens, as palavras e os rasgos

Patricia Montrase – “Fuga”

Sempre se procura conforto em lugares do passado. Tanto físicos quanto emocionais e metafóricos. No final de um dia, uma viagem, um passeio, cabeça e corpo cansados querem voltar ao lar, doce lar. E quando ele não é doce? O chão é áspero, o ar é denso e o barulho da rua não te permite ouvir o silêncio? Repelida e estranha dentro de suas próprias paredes. Enchemos o lar de objetos, imagens e retratos de lugares e pessoas que não fazem mais parte do hoje, para que tragam o abraço perdido para o viver do agora. Os sentimentos acabam se perdendo em memórias do passado, o lugar no qual se busca o familiar e seguro, e não se acha. No lugar de conforto, encontramos prisão. Quando habitamos uma cela, tudo o que queremos é fugir.

Patricia Montrase

Tommaso Protti – “Tá Cheio”

CURITIBA, BRASIL – 24 DE ABRIL DE 2015: 11º Distrito Policial de Curitiba, Estado de Paraná (sudeste do Brasil). A prisão deve funcionar como uma área de custódia da polícia onde os prisioneiros são detidos por curtos períodos antes de se mudarem para instalações de prisão maiores. No momento, a prisão tem 117 presos em celas projetadas para 20 pessoas, e algumas delas estavam lá há mais de um ano, e não um mês ou dois, como deveria ser o caso. A superlotação severa é um dos problemas mais sérios que assola o sistema penal brasileiro. A população carcerária do país é a quarta maior do mundo, depois dos EUA, da China e da Rússia, e está crescendo mais rapidamente do que em qualquer outro país. Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), existem atualmente cerca de 680 mil pessoas nas prisões do país, que são projetadas para receber 300 mil. Apenas uma década atrás, o Brasil tinha cerca de 270.000 pessoas sob custódia.

Overcrowding in Brazilian Prisons