Exposições “Aceita?” e “Construção de Valores” são prorrogadas até 25/3

As mostras “Construção de Valores”, de André Komatsu, e “Aceita?”, de Moisés Patrício, foram prorrogadas até 25 de março.

A instalação de Komatsu ocupa a Galeria Principal do prédio. Nela, o artista apresenta um conjunto de mais de 700 mil cópias, entre imagens e verbetes de dicionário, empilhadas em 62 torres rigorosamente organizadas no espaço. As imagens foram extraídas de meios de comunicação, e dentre os verbetes se encontram palavras como ordem, poder, estrutura, sistema, território e estado. Ventiladores ligados no entorno dessas “edificações” desestabilizam as pilhas, rearticulando imagens e verbetes em novos conjuntos, nos convocando a refletir sobre as estruturas que moldam a sociedade. Leia aqui entrevista com o artista.

"Construção de Valores", de André Komatsu
“Construção de Valores”, de André Komatsu

“Aceita?” fica na Galeria Transitória e é uma série que Moisés Patrício vem desenvolvendo desde 2013 para as redes sociais. Artista negro, morador da periferia de São Paulo e praticante do candomblé, Patrício produz religiosamente uma imagem por dia como forma de documentar o seu cotidiano e refletir sobre a sua condição na cidade. As imagens são meticulosamente projetadas e têm a mão aberta do artista como oferenda principal, sempre relacionada a frases que escuta ou a objetos que Patrício encontra em seu trajeto pela cidade. No vídeo abaixo, o artista fala sobre o trabalho.

Estamos abertos de terça a sexta, das 11h às 20h, e aos sábados, das 11h às 19h. A entrada é gratuita.

Chamado aberto para a mostra “Aproximadamente 800 cm3 de PLA”

APROXIMADAMENTE 800 cm3 DE PLA é uma exposição que busca mostrar o rico estado da arte digital em 3D, materializando-o em um espaço físico. Modelos virtuais são impressos em plástico e apresentados em um gabinete de curiosidades feitas por computador. Em abril, o projeto chega à Galeria Transitória do Red Bull Station.

A participação é aberta a qualquer pessoa interessada em contribuir. Vale qualquer tipo de modelo: esculturas generativas, personagens animados, props para filme e/ou videogame, projetos de engenharia, maquetes virtuais, tomografias computadorizadas.

3d4

Para ter a sua obra incluída na mostra, basta enviar o modelo 3D até 31 de março, em formato OBJ ou STL, para o e-mail 800cm3@redbull.com.br.

Os modelos recebidos serão impressos em 3D e colocados à mostra na Galeria Transitória de 1 de abril a 13 de maio. As condições completas de participação podem ser lidas abaixo.

De onde vem esse nome?
APROXIMADAMENTE 800 cm3 DE PLA é o volume total de plástico contido num carretel para impressão 3D. O projeto foi iniciado em 2015 durante a bienal de artes digitais “The Wrong”. Na primeira edição foram fabricados 71 modelos variados, criados por participantes de todo o mundo. Essa coleção encontra-se preservada no acervo da Galeria de Arte da UFES e pode ser vista em 800cm3.tumblr.com. O projeto é coordenado por Gabriel Menotti.

_MG_5621

No Red Bull Station, a mostra fabricará os modelos recebidos por e-mail até a matéria-prima acabar. Para que seu projeto seja fabricado e apresentado na exposição, basta observar essas oito regras simples:

1. Qualquer um pode enviar qualquer tipo de modelo 3D virtual para ser impresso e mostrado em APROXIMADAMENTE 800cm3 DE PLA;

2. De modo a estimular diversidade, as propostas estão limitadas a um modelo por pessoa;

3. O modelo deve ser enviado por e-mail, em formato STL ou OBJ, para 800cm3@redbull.com.br. No corpo da mensagem, indique o nome do autor e seu site(s) pessoal(is). Vale perfil em rede social também;

4. Todos os modelos serão produzidos usando os mesmos parâmetros de impressão e uma mesma quantidade de plástico PLA vermelho. Mas não se preocupe com isso: nós cuidaremos de formatar os modelos apropriadamente;

5. Depois de impressos, os modelos serão expostos na Galeria Transitória do Red Bull Station. A documentação das peças pode ser publicada nas redes sociais;

6. Planejamos imprimir a maior quantidade de objetos possível dentro das nossas restrições materiais. No caso de ser preciso fazer alguma triagem, nos basearemos em critérios bastante subjetivos de originalidade e diversidade;

7. Ao fim do processo, os modelos produzidos serão doados e uma coleção com os arquivos originais será publicada on-line. Caso você não queira que seu arquivo seja publicado, nos informe no email de submissão;

8. Ao submeter um modelo 3D para o projeto APROXIMADAMENTE 800cm³ DE PLA, você assume total responsabilidade sobre os direitos autorais da peça, e autoriza o seu uso e reprodução na exposição de acordo com as regras aqui delineadas.

**

ENGLISH VERSION

APPROXIMATELY 800cm³ OF PLA is an exhibition of the rich state of 3D digital art in a physical space. It constitutes a cabinet of computerized curiosities made with 3D printing. In April, the project arrives at Red Bull Station’s Transitory Gallery.

Participation is open to anyone interested in showing their work. You can submit any kind of model: algorithmic sculptures, cartoonish characters, movie or videograme props, engineering projects, virtual maquettes, computerized 3D scans and more!

In order to have your work shown in the exhibition, submit a 3D model by March 31st, in OBJ or STL format, to the email address 800cm3@redbull.com.br. The models will be printed in plastic and put on display at the Transitory Gallery until May 13th. Full conditions of participation can be read below.

Where this name comes from?

APPROXIMATELY 800cm³ OF PLA is the total volume of plastic contained in a spool for 3D printing. The project began in 2015 during The Wrong digital arts biennale. In the first edition, 71 models from participants from all over the world were produced. These objects are currently preserved in the collection of UFES art gallery, and can be seen at 800cm3.tumblr.com. The project is coordinated by Gabriel Menotti.

Conditions of participation

We have a spool of red PLA plastic and we are going fabricate 3D models received by e-mail until this material runs out. For your model to be printed and presented in the exhibition, please observe these eight simple rules:

1. Anyone can submit any kind of virtual 3D model to be printed and displayed on the show;

2. In order to foster participation, submissions are limited to one model per person;

3. The models must be send by e-mail, in OBJ or STL format, to 800cm3@redbull.com.br. In the message body, please indicate the name of the author and his/her personal website or social network profile;

4. All models will be made using the same printer settings and a standard amount of red PLA plastic. But don’t worry about any of this; we will be taking care of formatting them accordingly;

5. Once printed, the object will be put on display at the Transitory Gallery. The documentation of this process can be published on social networks.

6. We plan to print as many objects as possible, within the limits of the available material (one spool of PLA). In case selections must be made, they will be based on the very subjective criteria of originality and diversity.

7. At the end of the process, the models will be donated and a collection with the original files will be published on-line. In case you don’t want your file to be made published, please inform in the submission e-mail;

8. By submitting an object to APPROXIMATELY 800cm³ of PLA, you take full responsibility over the copyright of the piece, and authorize its use and reproduction in the show according to the rules above.

Giuliano Obici, da 12ª Residência Artística, apresenta performance no centro alemão ZKM

O artista Giuliano Obici, que participou da 12º Residência Artística do Red Bull Station, apresentou no fim de 2016 o trabalho “Simulacrum Piano” no ZKM (Center for Art and Media de Karlsruhe, Alemanha), um dos centros mais importantes de arte e tecnologia do mundo, junto a Heloísa Amaral (piano) e Anton Kossjanenko (Jan Zorin, no áudio e mix). Assista abaixo.

 

AQUI, relembre como foi a nossa mais recente residência e o trabalho apresentado por Giuliano.

Giuliano Obici e sua instalação de monitores que causam uma 'enchente audiovisual' | Foto: Lost Art / Red Bull Content Pool
Giuliano Obici e sua instalação de monitores que causam uma ‘enchente audiovisual’ | Foto: Lost Art / Red Bull Content Pool

 

Veja como foi a abertura de “Construção de Valores” e “Aceita?”

Inaugurando nossa programação de 2017, no último sábado (4) ocorreu a abertura das exposições “Construção de Valores”, de André Komatsu, e “Aceita?”, de Moisés Patrício, com apresentação do bloco afro feminino Ilú Obá de Min.

19_MG_7689

A instalação de Komatsu ocupa a Galeria Principal do prédio. Nela, o artista apresenta um conjunto de mais de 700 mil cópias, entre imagens e verbetes de dicionário, empilhadas em 62 torres rigorosamente organizadas no espaço. As imagens foram extraídas de meios de comunicação, e dentre os verbetes se encontram palavras como ordem, poder, estrutura, sistema, território e estado. Ventiladores ligados no entorno dessas “edificações” desestabilizam as pilhas, rearticulando imagens e verbetes em novos conjuntos, nos convocando a refletir sobre as estruturas que moldam a sociedade. Leia aqui entrevista com o artista.

_MG_7483

“Aceita?” fica na Galeria Transitória e é uma série que Moisés Patrício vem desenvolvendo desde 2013 para as redes sociais. Artista negro, morador da periferia de São Paulo e praticante do candomblé, Patrício produz religiosamente uma imagem por dia como forma de documentar o seu cotidiano e refletir sobre a sua condição na cidade. As imagens são meticulosamente projetadas e têm a mão aberta do artista como oferenda principal, sempre relacionada a frases que escuta ou a objetos que Patrício encontra em seu trajeto pela cidade. No vídeo abaixo, o artista fala sobre o trabalho.

Veja na galeria a seguir fotos da abertura, que encerrou com uma apresentação do Ilú Obá de Min. As mostras ficam até 4 de março em cartaz por aqui e, assim como toda a programação do espaço, têm entrada gratuita.

Fotos: Felipe Gabriel / Red Bull Content Pool

André Komatsu fala sobre a instalação “Construção de Valores”

Com abertura neste sábado (4/fev), a instalação “Construção de Valores”, do artista paulistano André Komatsu, ocupa a Galeria Principal do Red Bull Station até março. O trabalho, que já foi exibido na Ucrânia, em Veneza (em uma colateral da Bienal), Portugal e na Eslovênia (30ª Bienal de Artes Gráficas da Ljubljana), será apresentado pela primeira vez no Brasil.

“Quando fui convidado para esse projeto, eu fiquei pensando muito nesse trabalho. Primeiro porque eu nunca tinha apresentado ele aqui no Brasil. E, segundo, porque fui pensando em toda a confusão política que a gente anda vivendo e achei que seria um trabalho bem pertinente para essa situação”, diz o artista.

komatsu_1

“Construção de Valores” apresenta um conjunto de mais de 700 mil cópias, entre imagens e verbetes de dicionário, empilhadas em 62 torres rigorosamente organizadas no espaço. As imagens foram extraídas de meios de comunicação, e dentre os verbetes se encontram palavras como ordem, poder, estrutura, sistema, território e estado. Na instalação, ventiladores industriais posicionados em volta dessas torres as desestabilizam, rearticulando imagens e verbetes em novos conjuntos, nos convocando a refletir sobre as estruturas que moldam a sociedade e a intensidade das dinâmicas que operam no intervalo entre projeto e realidade.

André conta que passou dois anos coletando na internet as imagens — fotos “de distúrbios, desordens políticias, econômicas, naturais e sociais”, explica. “A princípio eu não sabia o que fazer com elas, aí veio essa oportunidade de fazer [a instalação] na Ucrânia a primeira vez. Essas imagens estão relacionadas com outras palavras que coletei no dicionário, palavras-conceito, vários tópicos que podem definir a ideia de um sistema de uma maneira geral”.

construcao2

“A partir disso, eu formulei o trabalho configurando-o em uma espécie de edificação para cada bloco de informação, tanto imagem quanto palavras, e essas informações são colocadas de maneira hierárquica, vertical, sendo que cada pilha tem uma altura diferente, e elas ficam concentradas em um centro, configurando quase uma cidadela. Daí o trabalho meio que se enuncia e se auto-sabota quando são posicionados ventiladores no entorno, criando uma desordem natural, silenciosa, desconstruindo um pouco essa hierarquia, bagunçando esses papéis. Criando dentro de uma sala completamente dura, verticalizada, um segundo momento que é essa horizontalização da informação e dos dados”, explica ele.

“É um trabalho que, na verdade, não tenta colocar nada de novo, não tenta fechar muito também, porque eu acredito que a gente viva numa sociedade que acaba ditando muito as certezas, esse tempo contemporâneo da certeza do mundo, da verdade. E o trabalho tenta mais criar uma dúvida, ou uma outra possibilidade, e entender o sistema que a gente vive”.

A instalação tem abertura neste sábado, das 11h às 19h, junto a exposição “Aceita?”, de Moisés Patrício. O evento contará ainda com apresentação do bloco afro Ilú Obá de Min às 17h30 no local. Os trabalhos podem ser visitados até 4 de março.

(Por Adriana Terra)